CONFEDERAÇÃO NACIONAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E DOS EMPREENDEDORES INDIVIDUAIS

BLOG

Comércio Exterior para pequenos negócios não é coisa de outro mundo!

Apesar de oferecer muitas oportunidades, ainda é pequeno o número de empresas brasileiras que apostam no mercado exterior. O percentual é ainda menor quando falamos sobre pequenos e microempreendedores.

É verdade que os números de PME’s que estão investindo na globalização está aumentando, mas o receio ainda impede que muitas sigam esses passos. Porém, a verdade é que o comércio exterior não é destinado apenas para as grandes companhias. Veja, a seguir, como a sua empresa pode aderir ao comércio exterior.

Dentre as muitas possibilidades que os avanços tecnológicos trouxeram, uma das principais é a de se comunicar facilmente com outros países. Quando isso é utilizado pelos pequenos empreendedores, várias portas podem se abrir. Entretanto, o número de micro e pequenas empresas brasileiras atuando no mercado externo ainda é baixo e a causa disso normalmente é a falta de informação e o foco no comércio interno. O resultado disso é a perda de muitas oportunidades, por acreditar que somente grandes empresas podem apostar nas exportações.

Quais são as vantagens?

Conforme a empresa passa por um processo de globalização, ela consegue alcançar um público maior. Ter a possibilidade de vender muito mais já é por si só uma grande vantagem. Sem falar que, ao entrar em contato com novos clientes, também há a tendência de desenvolver e realizar ainda mais melhorias no produto já existente (e por que não ter ideias para criar novos).

Mas isso não é tudo. O comércio exterior para pequenos negócios também pode ser uma alternativa nos tempos de crises, como a do coronavírus. As pequenas empresas geralmente são as que mais sofrem durante os períodos de instabilidade financeira. Por isso, estar preparada para atuar também com exportação pode ser a solução para manter um negócio funcionando. Além disso, do ponto de vista macro, quanto mais empresas nacionais focarem na exportação, maior será o crescimento do Brasil como um todo.

Quais são os desafios?

O comércio exterior para pequenos negócios é realmente uma incrível oportunidade. Mas, como toda grande mudança, também trás consigo alguns desafios. Dentre os principais estão:

  • Gestão da empresa: Nos micro e pequenos negócios, boa parte das atividades acabam sendo centralizadas pelo empreendedor, que às vezes não consegue dar conta de tudo. Porém, para entrar no mercado da exportação e se manter competitivo tanto em solo brasileiro, quanto em terras internacionais, é preciso que todos os setores da empresa estejam organizados e atuando da melhor maneira possível.
  • Tecnologia: O investimento em tecnologia geralmente não é uma prioridade das micro e pequenas empresas, mas para entrar no comércio exterior, ela pode ser o diferencial para atingir o sucesso. Com ferramentas atualizadas, a tendência é que a produtividade aumente muito. Vale lembrar que esse investimento também oferece grandes benefícios no mercado nacional.
  • Produto: Para que um produto seja enviado e consumido em outros países, é normal ser necessário realizar algumas mudanças nele. Isso pode ocorrer por questões que envolvem a matéria-prima, design da peça e dimensões. Até mesmo as embalagens e quantidades dentro de uma caixa podem ter que mudar, afinal cada país tem normas diferentes e é preciso garantir que sua mercadoria chegue ao destino intacta.
  • Qualidade: Apesar das mudanças, é imprescindível que a qualidade do produto e do atendimento não caia. Por isso, é preciso dar atenção especial antes e também após a venda. Além disso, tome cuidado com altas demandas, para garantir que a empresa consiga entregar tudo no prazo acordado.
  • Capital de giro: Várias questões burocráticas acabam mudando quando uma empresa vende para o mercado externo. Dentre as principais estão a logística para entrega, tempo de produção, modalidades e prazo de pagamento. Isso faz com que seja necessário ter um capital de giro maior, para assegurar a saúde financeira do negócio.

Como começar?

Tanto para exportação, quanto para importação, os primeiros passos são básicos. O empreendedor que deseja fazer negócios com o comércio exterior deve tentar participar de eventos e fazer networking com pessoas que atuam fora do Brasil. Começar a direcionar o marketing digital para o país com o qual deseja negociar também é uma boa ideia. E lembre-se que não há problema nenhum em pedir ajuda, pelo contrário. Contando com os parceiros certos, as chances de conseguir realizar suas vendas e se firmar no exterior são maiores.

Passo a passo:

Quando o assunto é a globalização da sua empresa, é importante começar aos poucos e realizar alguns procedimentos.

  • Planejamento estratégico: essa é a forma mais fácil de mapear tudo o que precisa ser feito para começar a entrar no comércio exterior. Ele deve conter informações essenciais, como oportunidades e fraquezas do mercado, tempo de produção, logística e outros processos internos.
  • Pesquisa: uma parte chave para a preparação do planejamento é a pesquisa. Estude sobre a história dos países para onde deseja exportar, saiba mais sobre suas questões políticas e sociais e se familiarize com as leis, tributos e concorrência. Todas essas informações podem ser decisivas durante o processo.
  • Organização: após realizar todo o planejamento e ter um plano de atuação, é preciso ter organização para colocar em prática tudo o que deve ser melhorado.
  • Preço: o preço do seu produto precisará mudar. Afinal, alguns custos saem do cálculo e outros entram. Gastos como ICMS, IPI, PIS e COFINS, por exemplo, não devem ser levados em consideração para vendas no exterior. Em compensação, outros custos precisam ser incluídos no preço, como embalagens mais resistentes, transporte, comissão para agente de exportação, envio de amostras, entre outros.
  • Transporte e logística: durante a pesquisa, defina qual será o melhor meio de transporte para a sua empresa utilizar. Dependendo do destino, você pode optar por navio, barco, avião, trem e ônibus. Verifique quais são os custos, prazo e toda a logística para que o seu produto chegue no país de destino.
  • Burocracia: para poder comercializar seus produtos no exterior, alguns documentos são solicitados. Também existem questões burocráticas que devem ser seguidas. Por isso, é importante contar com a ajuda de especialistas no assunto, garantindo que tudo seja feito dentro da lei.

Com todas essas informações, esperamos que você tenha percebido como o comércio exterior pode abrir portas para o seu negócio e que ele definitivamente não é destinado apenas para as grandes empresas. Os pequenos negócios também podem se beneficiar muito com a globalização.

Quer globalizar sua empresa usando a internet? Clique aqui para saber mais!

A CONAMPE organiza e promove seminários, congressos e outras atividades de ajuntamento e mobilização empresarial em prol das micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais no Brasil.
FALE CONOSCO
CURITIBA
R. Padre Anchieta, 2050 - Salas 606 e 711
Bigorrilho - CEP 80730-000 - Curitiba - PR
BRASÍLIA
SHCS CR Quadra 502 - Bloco C - Loja 37
Asa Sul Brasília /DF - Tel. (61) 3246-9297
SIGA NAS REDES